Escrever do seu jeito

Aprende-se a escrever, escrevendo.

A aquisição da leitura e da escrita vai além da decodificação dos códigos linguísticos, e da representação do som através dos grafemas. As crianças dos primeiros anos de escolaridade são incentivadas a escrever expontâneamente, esses exercícios acontecem após terem acesso aos diferentes portadores de texto.

Incentivar a escrita espontânea é permitir que escrevam sem medo. Consideramos as  diferentes formas de o aluno grafar uma mesma palavra como hipóteses e não mais erros;

As professoras Farisvânia, e Adriana solicitaram atividades de escrita espontânea a partir de texto trabalhados em sala de aula.

Com as crianças do 1º ano trabalhamos a poesia de Vinícius de Moraes, O Pato.

O Pato - Vinicius de Moraes

As crianças do 2º ano trabalharam com o livro da Ruth Rocha, O menino que aprendeu a ver.

Os alunos foram incentivados a escrever do “seu jeito”. Podemos observar nessa atividade os diversos estágios da aquisição da escrita e da leitura.

Quer ver as atividades ? Observe-as na página de português

Anúncios

Inventário Ambiental de Fortaleza carece de atualização | Fortaleza | O POVO Online

Fortaleza, minha terra querida, possui uma floresta urbana linda e desconhecida . Está série além de encantar os olhos nos abre os sentidos para querer saber…

E agora? Depois de sabermos sobre todas essas coisas, o que devermos fazer para cuidar melhor dessa maravilha?

Inventário Ambiental de Fortaleza carece de atualização | Fortaleza | O POVO Online.

Educação de crianças e o software livre

Fisl 13, uma experiência impar. Muita gente interessada em educação, aprendizados diversos, oficinas, palestras conversas, troca de saberes.

O GT de Educação, espaço berço oue  incubadora de muitas idéias, desperta o  interesse de muitos.

Veja abaixo, conversa sobre o uso de software livre e a educação das crianças.

fisl13 debate o uso de softwares livres na educação das crianças

28 de Julho de 2012, por Gabriel Galli

Visualizado 286 vezes
 Voltar a Noticias do …

No último dia de fisl13 o GT Educação proporcionou um diálogo com professores e profissionais de T.I. que compartilharam experiências educativas a cerca do uso de Software Livre. A mesa composta pelas professoras cearenses, Glenilce Maria de Sousa Forte e Liduína Vidal de Almeida e pelo o professor gaúcho e ganhador da Prêmio Ação Coletiva 2010 pela distribuição Pandorga Linux, Marcos Silva Vieira, compartilharam experiências e soluções criativas utilizando o Software Livre em escolas públicas.

O professor Marcos Silva Vieira, destacou em sua fala que o futuro já existe, pois as crianças hoje se apropriam com total autonomia de técnicas que ainda não sabem lidar. Ele apresenta um vídeo para os participantes da palestra, de um aluno que embora sem ter noção de teoria musical, consegue criar melodias utilizando pela primeira vez um software de educação musical.

O professor ressalta que o uso do Software Livre na Educação é importante por duas razões: pela questão econômica e pelas múltiplas possibilidades criação e modificação que oferece. Destaca ainda, que o SL contribui para se alcançar os 4 pilares da Educação para o Século XXI segundo a UNESCO e que para ele, também são os pilares do Software Livre: Aprender a conhecer; Aprender a viver junto e colaborar; Aprender a ser e Aprender a fazer.

As professoras da Rede Municipal de Fortaleza-CE Glenilce e Liduína, compartilham experiências do uso do Software Livre em suas escolas e as modificações criativas feitas com programas já existentes. Elas afirmam que o Software Livre proporciona a autonomia, colaboração e a criatividade dos alunos e ressaltaram a importância de espaços como o fisl, para a troca de experiência com professores de outras regiões do Brasil.

A professora Glenilce cita exemplos dessas “soluções criativas”. Ela utiliza osfamosos programas do LibreOffice Impress e Calc para atender outras necessidades educativas, dando novas funções para esses programas, como a criação de jogos de múltipla escolha, ortografia, cruzadinhas, “contação” histórias, elaboração de aventuras de geografia (Você é um astronauta) e outras novas funções. A professora cita uma famosa frase do filósofo grego Aristóteles: “A autêntica riqueza se encontra no uso mais que na propriedade” e conclui sua apresentação ressaltando que o Software Livre deve ser utilizado para proporcionar atividades lúdicas e prazerosas.

A professora Liduína, chamada carinhosamente de “vovó do Software Livre”, fala da necessidade de superação da “tecnofobia”, termo que diz respeito à resistência dos professores ao uso das tecnologias na educação e afirma: “gosto de ser professora e gosto de ser livre”. Para ela, imposições e cerceamento não favorecem a aprendizagem e o Software Livre proporciona a liberdade de criação e transformação, autonomia e colaboração. A professora finaliza sua apresentação, ressaltando a necessidade de ampliação do diálogo entre os professores e os profissionais de T.I, tão importante para a solução dos problemas, capacitação dos professores, desenvolvimento de programas que atendam às necessidades dos educadores e elaboração de novos projetos.

Para finalizar, a professora e pesquisadora da UFMG, Ana Cristina Fricke Matte, elogia a abertura do evento para os debates e troca de experiências com o Software Livre na Educação e fala sobre a necessidade de consolidação de diálogos entre educadores e profissionais de T.I para a consolidação do Software Livre para uma educação de melhor qualidade.

Escrito por Rafaela Melo